Não consegue visualizar? Clique aqui ou baixe a versão em PDF

O presidente nacional do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), Técio Lins e Silva (foto), lamentou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que negou liminar contra a execução provisória da pena de prisão após a confirmação da sentença pela segunda instância, em julgamento realizado no dia 5 de outubro. Ele ressaltou, no entanto, que a decisão foi proferida em caráter liminar: “É preciso aguardar o julgamento do mérito, quando o Supremo poderá rever seu entendimento”. Segundo o presidente do IAB, “a negativa da liminar não vincula nem o...