Quinta, 06 Agosto 2020 20:18

Com apoio do IAB, Sobratt inicia pesquisa sobre aumento do teletrabalho na pandemia 

Dimensionar o crescimento do teletrabalho e detectar as dificuldades enfrentadas pelas empresas para implantar o trabalho a distância, sem tempo de planejamento, por conta do isolamento social exigido pela pandemia, são alguns dos objetivos da Pesquisa Home Office Brasil, edição 2020. Com o apoio do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), do qual é parceira acadêmica e cultural, a Sociedade Brasileira de Teletrabalho e Teleatividades (Sobratt) deu início esta semana, junto com a empresa SAP Consultoria, à fase de entrevistas da pesquisa. O questionário, disponível ao final desta matéria, deverá ser respondido até o dia 28 de agosto. 
As perguntas foram enviadas a empresas públicas e privadas nacionais e multinacionais de diferentes segmentos e regiões de todo o País, inclusive, escritórios de advocacia. Além de gratuita, a participação garante o recebimento em primeira mão das informações obtidas pela pesquisa. A quarta edição da Pesquisa Home Office Brasil revelará o número atual de teletrabalhadores no País, as áreas em que há uma presença maior do trabalho remoto, as práticas salariais e as diferenças de gestão do teletrabalho.  

De acordo com as três pesquisas anteriores realizadas pela Sobratt e a SAP Consultoria, o home office vem crescendo, nos últimos anos. Em 2014, 36% das empresas tinham prestadores de serviços em regime de teletrabalho. Nas pesquisas feitas em 2016 e 2018, os números subiram para 37% e 45%, respectivamente.  

Com os resultados da pesquisa de 2020, a Sobratt, presidida por Luiz Otávio Camargo Pinto, que é membro efetivo do IAB, pretende dar publicidade às práticas existentes e ao impacto do trabalho a distância na produtividade e na qualidade de vida dos teletrabalhadores. 

“A pesquisa vai refletir esse momento histórico e divisor de águas que o mundo, infelizmente, está passando e inclui a modalidade teletrabalho no mundo do trabalho”, informa Luiz Otávio Camargo Pinto. Para a presidente nacional do IAB, Rita Cortez, “a pesquisa ajudará a identificar os problemas enfrentados pelas empresas e apontará soluções para aperfeiçoar o teletrabalho no futuro”. Em setembro, serão analisadas as informações obtidas. Os resultados da pesquisa vão ser divulgados em outubro.  

Para participar da pesquisa, clique aqui e responda ao questionário.