Segunda, 13 Setembro 2021 21:13

Técio Lins e Silva é homenageado pela OAB/RJ com a Medalha Sobral Pinto 

Da esq. para a dir. Fernanda Leitão, Sydney Sanches, Ricardo Menezes, Luciano Bandeira, Ana Tereza Basílio e Técio Lins e Silva Da esq. para a dir. Fernanda Leitão, Sydney Sanches, Ricardo Menezes, Luciano Bandeira, Ana Tereza Basílio e Técio Lins e Silva Foto: Bruno Mirandella
O ex-presidente do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) Técio Lins e Silva foi homenageado pela OAB/RJ com a entrega da Medalha Sobral Pinto, destinada aos advogados que completam 50 anos de carreira, em cerimônia realizada nesta segunda-feira (13/9), na sede da Seccional. A entrega da comenda ocorreu após a palestra feita pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Marcelo Navarro Ribeiro Dantas, que encerrou o ciclo organizado pela OAB/RJ e a Revista Justiça & Cidadania para celebrar o mês da advocacia. O 2º vice-presidente do IAB, Sydney Sanches, representou a entidade ao integrar a mesa de honra na cerimônia conduzida pelo presidente da Seccional, Luciano Bandeira. 
De acordo com Sydney Sanches, “a Medalha Sobral Pinto representa o mais alto enaltecimento ao exercício da advocacia fluminense, sendo, portanto, uma justa homenagem que a OAB/RJ confere à luta dos advogados pelos seus 50 anos de dedicação ininterrupta ao direito de postular e de defesa de seus constituintes”. O 2º vice-presidente do IAB complementou: “É a confirmação da longevidade de nossa profissão, que dispensa a idade sempre que for necessário preservar direitos ou defender o cidadão e a sociedade”. 

 
Sydney Sanches e Técio Lins e Silva


Técio Lins e Silva lembrou algumas passagens que teve com o jurista que dá nome à comenda. “Em 1987, assumi a Secretaria de Estado de Justiça, e Sobral Pinto enfrentava dificuldades econômicas, razão pela qual resolvemos dar a ele o título de defensor público honorário, tendo sido votada na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro uma lei para isso”, relatou o criminalista. Segundo Técio, "Sobral recusou o título, dizendo 'não recebo pelo que não fiz', então, tivemos que fazer outra lei para revogá-lo”. Técio disse ainda: “Era uma figura impressionante com quem tive o prazer de conviver na profissão, inclusive na Justiça Militar, durante os anos de chumbo, e de tentar ter um por cento daquele vigor na advocacia em defesa de todas as causas, sobretudo da liberdade”.  

Também foi agraciado com a comenda o consócio João Carlos de Camargo Eboli, que foi diretor-secretário na gestão do presidente Fernando Fragoso. Ele não pôde comparecer à cerimônia, e a sua medalha foi entregue a Sydney Sanches.