Quarta, 27 Novembro 2019 09:34

Luciana Lóssio faz palestra no CFOAB e critica baixa presença feminina nos cargos de poder

Da esq. para a dir., Luciana Nepomuceno, Luciana Lóssio e Daniela Borges Da esq. para a dir., Luciana Nepomuceno, Luciana Lóssio e Daniela Borges Foto: Eugênio Novaes
A ex-ministra do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e presidente da Comissão de Direito Eleitoral do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), Luciana Lóssio, proferiu a palestra magna de abertura do evento Elas na Política, realizado nesta terça-feira (26/11), na sede do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (CFOAB), em Brasília. “Apesar de nós, mulheres, sermos a maioria da população e do eleitorado brasileiro, não atingimos a paridade nas representações, sendo lamentável que, num país onde 52,5% do contingente eleitoral é feminino, não haja a mesma presença de mulheres nos cargos de poder”, criticou Luciana Lóssio. Para a advogada, “é inadmissível que apenas 15% dos deputados federais sejam mulheres, percentual que desce dois pontos no Senado Federal”. 
Elas na Política foi aberto pelas presidentes da Comissão Nacional da Mulher Advogada, Daniela Borges, e da Comissão Especial de Estudo da Reforma Política, Luciana Nepomuceno. A representante do IAB no evento também comentou o fato de o Brasil ser a maior economia da América do Sul e, ao mesmo tempo, o país com menor representação política feminina. “Enquanto os argentinos foram às urnas recentemente com total paridade de gênero para escolher seu presidente, aqui nós estamos discutindo uma Proposta de Emenda Constitucional que reserva às mulheres inegociáveis 10% das cadeiras do Poder Legislativo. Não tem como se tabular um percentual tão humilhante em uma negociação”, afirmou Luciana Lóssio.

A advogada falou também sobre o crescimento de candidaturas “laranjas” de mulheres. “Alguns escândalos eclodiram recentemente, mas essa é uma prática antiga no Brasil”, disse. Segundo ela, na eleição de 2008, entre os candidatos que não receberam um único voto, 55% eram homens e 45%, mulheres. De acordo com Luciana Lóssio, na de 2016, “os dados apontavam para 14% de homens e impressionantes 86% de mulheres entre os candidatos sem qualquer voto”.

Também compuseram a mesa de abertura a secretária-geral da Comissão Nacional da Mulher Advogada, Cláudia Sabino; a secretária-geral adjunta da comissão, Marisa Gaudio; a vice-presidente da OAB-MG, Helena Delamônica; a vice-presidente da OAB-PI, Aline de Almeida Santos; a conselheira federal Márcia Álamo e o deputado federal Luiz Antônio Corrêa (DC-RJ).