Segunda, 04 Fevereiro 2019 22:10

Sergio Tostes representa o IAB na cerimônia de posse do novo presidente do TJRJ

Da esq. para a dir., o procurador da Fazenda Nacional Allan Tintonelli; o prefeito de Miracema, Clovis Tostes; Claudio de Melo Tavares, o desembargador Custódio Tostes e Sérgio Tostes Da esq. para a dir., o procurador da Fazenda Nacional Allan Tintonelli; o prefeito de Miracema, Clovis Tostes; Claudio de Melo Tavares, o desembargador Custódio Tostes e Sérgio Tostes
O 1º vice-presidente do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), Sergio Tostes, representou a entidade na solenidade de posse do desembargador Claudio de Mello Tavares na Presidência do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), realizada nesta segunda-feira (4/2), no Plenário da Lâmina Central do TJRJ. Claudio de Mello Tavares, que ocupava o cargo de corregedor-geral da Justiça, ficará à frente do tribunal no biênio 2019/2020, sucedendo o desembargador Milton Fernandes de Souza. “O IAB terá grande importância na formulação de propostas para o aperfeiçoamento da máquina judiciária do estado, agora que a presidência do tribunal é exercida por alguém oriundo da classe dos advogados”, afirmou Sergio Tostes.
Segundo Tostes, “a posse da nova diretoria do TJRJ foi um acontecimento de repercussão nacional com a presença de altas autoridades da República, demonstrando que o Rio de Janeiro, onde têm sede o IAB, a Academia Brasileira de Letras e outras entidades de grande importância histórica, continua sendo o grande centro das atenções do País”. Também compareceram à solenidade a 3ª vice-presidente do IAB, Adriana Brasil Guimarães; o diretor Financeiro, Arnon Velmovitsky; o secretário-geral, Carlos Eduardo Machado; o diretor-secretário Antônio Laért Vieira Junior; o diretor de Acompanhamento Legislativo Cível, André Marques; e o ouvidor Mario Antonio Dantas de Oliveira Couto.
 
Vários membros da Diretoria do IAB compareceram à posse no TJRJ

Após assumir o cargo, Claudio de Mello Tavares pediu um minuto de silêncio em homenagem às vítimas da tragédia de Brumadinho e empossou os desembargadores Bernardo Moreira Garcez Neto, novo corregedor-geral da Justiça; Reinaldo Pinto Alberto Filho (1º vice-presidente); Paulo de Tarso Neves (2º vice-presidente); Elizabete Filizzola Assunção (3ª vice-presidente); e André Gustavo Corrêa de Andrade, no cargo de diretor-geral da Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (Emerj).

Em seu discurso, Claudio de Mello Tavares destacou que a atuação do Poder Judiciário deve ser pautada em prol da efetivação dos direitos fundamentais e sociais. “É isso que a sociedade brasileira espera: que o Poder Judiciário seja verdadeiramente um produtor de Justiça”, afirmou o magistrado. O novo presidente do TJRJ saudou magistrados, procuradores e promotores do Ministério Público, advogados e defensores públicos, e defendeu o diálogo e a importância da consolidação da democracia no País.

“O Brasil tem pressa, e é fundamental consolidarmos a nossa democracia, em que todos sejam filhos de um Brasil comum nas escolas, nos bairros, nas empresas, nas cidades, nas universidades, na vida pública, concedendo-lhes mais justiça e paz, além de saúde, emprego, segurança e educação. Haveremos de encontrar saída para escapar do caos e da violência do nosso tempo, retomando a fé e a esperança em um Brasil mais equânime,” ressaltou.

Em entrevista à imprensa após a solenidade, o presidente do TJRJ anunciou como principal compromisso de sua gestão a informatização dos processos, como forma de alcançar maior celeridade, mais economia e um melhor atendimento à população. “Nossa prioridade será a digitalização de todos os processos para que a Justiça seja mais ágil e a população tenha uma resposta muito mais rápida, que traga paz e tranquilidade a quem procure o Poder Judiciário”, disse Claudio de Mello Tavares.
 
Arnon Velmovitsky e Sergio Tostes

Integraram a mesa de honra os ministros Luiz Fux, vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF); João Otávio de Noronha, presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ); Humberto Martins, corregedor-nacional de Justiça; Luís Felipe Salomão, Marco Aurélio Belizze, Paulo Moura Ribeiro e Antonio Saldanha Palheiro, todos do STJ; o governador do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel; o arcebispo da Arquidiocese do Rio de Janeiro, cardeal Dom Orani Tempesta; o senador Fernando Collor de Mello (Pros-AL); o deputado federal Hugo Leal (PSD-RJ); o procurador-geral de Justiça do Estado do Rio, Eduardo Gussem; o procurador do município do Rio, Antônio Carlos de Sá, representando o prefeito Marcelo Crivella; a presidente da Associação dos Magistrados do Estado do Rio (Amaerj), Renata Gil de Alcântara Videira; o presidente da OAB-RJ, Luciano Bandeira; e o presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, deputado André Ceciliano.