Quinta, 09 Maio 2019 20:21

‘A Justiça brasileira é cara e ineficiente’, afirma Rita Cortez no Plenário da OAB/RJ

‘A Justiça brasileira é cara e ineficiente’, afirma Rita Cortez no Plenário da OAB/RJ Foto: Luciana Botelho 
A presidente nacional do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), Rita Cortez, afirmou que “a Justiça brasileira é cara e ineficiente, embora conte em seus quadros com magistrados de excelente qualidade, muitos dos quais são membros honorários do IAB, assim como defensores públicos e membros do Ministério Público”. A afirmação foi feita pela presidente na noite desta quarta-feira (8/5), no Plenário da OAB/RJ, ao integrar a mesa de abertura da solenidade de posse dos membros da recém-criada Comissão de Celeridade Processual (CCP) da Seccional. Rita Cortez disse ainda que, “para garantir a efetividade da prestação jurisdicional, além de reestruturar a Justiça, é preciso respeitar princípios constitucionais, como os da não onerosidade, da gratuidade e da celeridade”.
A CCP será presidida por Paulo Grossi e terá como vice-presidente Mônica Adur Fontes. A nova comissão terá, ainda, coordenadores nas subseções, com o objetivo de criar um sistema estadual para garantir a celeridade processual O presidente da OAB/RJ, Luciano Bandeira, afirmou: “Faremos pontes e criaremos diálogos com os tribunais para enfrentar essa mazela que é a morosidade”. Também compuseram a mesa o diretor do Departamento de Apoio às Subseções (DAS) e secretário-adjunto da OAB/RJ, Fábio Nogueira; a presidente da Comissão OAB Mulher, Marisa Gaudio; e o professor de Direito Processual Civil na FGV Alexandre Martins Flexa,

Fábio Nogueira disse que a morosidade processual “é o problema que mais atinge o advogado e a advogada do Rio de Janeiro”. Alexandre Martins Flexa elogiou a iniciativa da CCP de promover a capacitação para que a advocacia encontre caminhos para driblar a morosidade, mas disse que não se pode colocar a culpa somente no Judiciário. “Nós, como advogados, precisamos nos instruir e nos preparar para também adotar medidas cabíveis”, afirmou.